terça-feira, dezembro 27, 2005

Estupidez ou ignorancia

Desta vez decidi escrever um texto ao invés de escrever um poema ou algo do género.

É incrível as coisas que vejo na rua á medida que deambulo, sempre que venho da faculdade em Aveiro, ou quando passeio pela noite de Leiria, como é possível existir tanta ignorância, senão vejamos, já perdi a conta dos casais de namorados que discutem por coisas ridículas, merdices que não interessam a ninguém, e pergunto-me, se será que não vêem o que estão a fazer, ou melhor, será que ainda não deram o devido valor ao que têm á frente? Muitas das vezes, a separação de namorados é porque simplesmente não deram o devido valor que deviam ao parceiro, e que simplesmente namoram, porque é fixe ou porque é agradável e acabam por nunca dar o devido valor ao amor que o parceiro(a) entrega. Caem constantemente no ridículo, devido á imaturidade das suas acções, seja fazendo algo ridículo ou não prestando atenção á pessoa que lhe dá o amor que tão importante é, e muitas das vezes fazendo sofrer quem ama, fazendo chorar, gritar na solidão da vida, tudo porque não deram a devia atenção. Não é preciso muito, basta um pouco de carinho, um passeio no parque, um momento de carinho e de amor no banco de um jardim, no muro de uma colina enquanto se passeia pelo meio da natureza, não é complicado, mas mesmo assim, nem isto conseguem dar…

Isto deveras dá que pensar, pois sendo as crianças que são, como podem sequer compreender o amor? Como podem mentir dizendo que percebem, quando na realidade a única coisa que sentem é uma atracão física, uma química que mais cedo ou mais tarde acaba, uma paixão que vem e que depois desaparece… No meu entender, o amor é preocupação, é querer estar ao lado da pessoa que se ama, é querer dar carinho, beijos, mimos, fazer pequenas festas na cara, mesmo sabendo que poderá não se receber algo, é preocupação com os sentimentos, saber olhar para a cara e saber o que fazer pela reacção dos olhos. Pergunto-me quantas pessoas são capazes disto, quando a maior parte das vezes só querem divertir-se, e acabam a brincar com o coração da pessoa, ou pior, dizem gostar quando na realidade só querem ter alguém ao lado, para mostrar aos outros que têm acabando por magoar os sentimentos de quem ama, fazendo sofrer chorar, destruir até a vida e depois dizendo estupidamente ao ouvido baixo, “é a vida” como se nunca quisessem saber.

Só digo mais isto, ganhem dois dedos de testa, meio quilo de maturidade e para acabar, uns óculos com uma graduação decente, para poderem dar o real valor ao que têm á frente e deixarem de ser miúdos e de viver em mundos de sonho, pois quem está á nossa frente, precisa do nosso amor, não precisa de uma mentira.

Não façam sofrer quem vos ama, façam sorrir de felicidade.

Carlos Miguel 27/12/05