domingo, outubro 15, 2006

Nada Sentir, Nada Sofrer

Muda-se o rumo
Esquecem-se os velhos destinos
Destroem-se os pensamentos
Confundem-se os sentidos

Perdem-se os sentimentos
Abandonam-se os momentos
Libertam-se as tristezas
Libertam-se as fraquezas

Deambula-se pela vida
Sem destino
Abandonando o pensamento
Acelarando os sentidos
Confundindo os sentimentos
Nunca guardando os momentos
Gritando durante as tristezas
Para que se desgastem estas fraquezas...

Nada sentir, para por nada sofrer.