quinta-feira, março 19, 2009

A Besta!


Engane-se aquele que julga que a besta é o diabo, mais longe da verdade não poderiam estar, já que o diabo é bastante inteligente. Estou sim a referir-me aquela besta diária por que todos os dias temos a infelicidade, tristeza ou ainda mesmo desespero, em ter que cruzar caminhos decentes, para chegarmos ao nosso local diário de trabalho.
Eu disse desespero? Nem existem palavras para descrever o sentimento, ou melhor dizendo, a vontade de um gajo se atirar da ponte abaixo só para não ter que passar ao lado dessa coisa com pernas e braços, que vagueia pelo mundo, deambulando e empestando a calçada portuguesa com a sua miserável desculpa de existência a que tenta desesperadamente de chamar, vida... Pois sim, a besta, aquela criatura que veio ao mundo por engano, vive enganado e para enganar o próximo.

Bestas!!! Não têm outro nome... parece que têm uma atracção em fazer-nos a vida angustiante, irritante, desesperante! Se não for a besta quadrada que nos tenta atropelar na passadeira enquanto está ao telemóvel, é a besta cúbica que nos encharca de água a tentar passar no amarelo...
Então e aquela besta que para nos servir um galão e uma sandes mista, dá duas voltas ao café e passado 15 minutos diz-nos que não tem fiambre ???

Haja paciência meus caros...

Mas pior que isso, são aquelas pessoas que mentem porque acham que estão a fazer bem.
Mas isso fica para o próximo post (que espero que tenha melhor qualidade de escrita) - O Mentiroso.

terça-feira, março 17, 2009

Opium



Por isso eu tomo ópio, é um remédio.
Sou um convalescente do momento.
Moro no rés-do-chão do pensamento
E ver passar a vida faz-me tédio.

(Fernando pessoa/álvaro de campos: opiário)

segunda-feira, março 09, 2009

Porque é que não escrevo?



Não há nada para escrever... Não há nada para dizer simplesmente, tudo o que me aconteceu, roubou de mim a vontade em dizer seja o que for...




Não sou cozinheiro, sou engenheiro... gosto sim de cozinhar, mas apenas para alguém...



















Tempo tempo... tanto tempo... Aquilo que há 2 meses eu não tinha, tenho agora em excesso... agora dou por mim a pensar nisso mesmo, no tempo...














Não tenho vontade para dizer mais nada, nem vontade, nem ideias, não me sai nada... estou completamente vazio.